sexta-feira, 18 de junho de 2010

Psicomotricidade

É uma reeducação ou terapia de mediação corporal e expressiva, na qual o psicomotricista estuda e compensa as condutas motoras inadequadas ou inadaptadas, em diversas situações geralmente ligadas a problemas de desenvolvimento e de maturação psicomotora, de comportamento, de aprendizagem e de âmbito psico-afectivo.

Âmbito da Intervenção
O psicomotricista desenvolve a sua intervenção, entre outros:
  • no âmbito preventivo, em indivíduos saudáveis ou em situação de risco, numa lógica de desenvolvimento do seu potêncial individual e de interacção;
  • no âmbito reeducativo e terapêutico, dirigido a indivíduos com problemas de desenvolvimento, aprendizagem e comportamento
O âmbito de intervenção do psicomotricista abrange ainda a intervenção complementar com a familia, a escola e a comunidade.
 
Modelos de Intervenção em Psicomotricidade
A intervenção Psicomotora assume três (3) vertentes:

  1. Preventiva ou Educativa, nos contextos em que se pretende estimular o desenvolvimento psicomotor e o potencial de aprendizagem e a melhoria ou manutenção de competências de autonomia em todas as fases da vida;
  2. Reeducativa, quando a dinâmica do desenvolvimento e de aprendizagem está comprometida;
  3. Terapêutica, quando é necessário ultrapassar problemas psico-afectivos que comprometem a adaptabilidade da pessoa
Objectivos
a) Constituir-se como um contributo para o desenvolvimento global do indivíduo e para a promoção da sua saúde e qualidade de vida;


b) Compensar uma problemática situada na convergência do psiquismo e do somático, intervindo através do corpo e atribuindo significação simbólica ao corpo em acção;


c) Promover, através da relação acção-pensamento, competências nas seguintes vertentes: cognitiva (atenção, concentração, memória, actividade simbólica e conceptual), linguagem (nas suas dimensões fonológica, semântica, sintáctica e pragmática), psico-afectiva (expressão dos afectos e das problemáticas não passíveis de gestão terapêutica pela palavra) e motora (tonicidade, equilíbrio, lateralidade, noção do corpo, organização espacial e temporal e motricidade global e fina).

Nota:


O terapeuta usa todo o seu conhecimento com o intuito de se atingir os objectivos, por isso é importante confiarem no seu trabalho e ouvirem os seus conselhos. Por vezes a ansiedade e a explosão emocional que a família tem passa para a criança deixando-a tensa e triste, o que só dificulta a sua evolução e todo o trabalho terapêutico!

Desenvolvimento Infantil...

O Desenvolvimento Infantil é um processo evolutivo, acumulativo e gradual, através do qual se adquirem novas funções e se aumentam as capacidades pré-existentes. Compreende um processo global e integrador, onde cada componente (Psicomotor-Emocional-Linguístico-Cognitivo-Social-etc...) co-funciona com harmonia e coordenadamente!

As relações da criança com o seu envolvimento multiplicam-se e aumenta portanto a maturidade na organização das suas sensações, acções e emoções. A percepção torna-se mais precisa e o movimento conseguido tende a ser repetido. É nesta repetição que a criança se vai estruturando.

A adesão da criança ao real explica-se também pelo seu instinto de investigação, de exploração e de curiosidade. Ao manipular objectos a criança atinge efeitos que a excitam emocionalmente e a encantam como autodescoberta fazendo com que os gestos se repitam e automatizem.

È MUITO IMPORTANTE estimular e deixar a criança explorar os objectos, os outros, o mundo para descobrir, aprender... se DESENVOLVER!

Incentive em cada nódoa, em cada queda, em cada susto, a ser corajoso, curioso e explorador!
Cuide e esteja atento ao seu filho e à mínima desconfiança de que algo não está bem procure o pediatra, pergunte e descubra com ele o que se passa! Nunca feche os olhos a uma realidade diferente daquela que idealizou porque isso prejudica a criança e a própria familia! Uma criança especial, não deixa de ser um filho amado, apenas necessita de nós de uma maneira mais intensa...especial! E os técnicos são pessoas formadas para o acompanhar e ajudar!

terça-feira, 23 de fevereiro de 2010

A Psicomotricidade

Mais do que uma profissão a Psicomotricidade é uma paixão!

É dificil explicar o que sentimos ao darmos tudo de nós no trabalho relativamente ao outro, é mais dificil ainda explicar o quão importante é um sorriso de alguém com quem trabalhamos... É um trabalho muito gratificante e enriquecedor, onde todos os casos são uma lição de vida, onde nos preenchemos em cada relação de terapeuta-paciente!

É uma profissão de muito empenho, dedicação, amor e enriquecimento como ser humano... Por ser uma área tão rica quero partilhá-la, explicá-la e diferenciá-la de outras áreas com as quais constantemente as pessoas a confundem.

Também quero realçar que a Psicomotricidade não é nem mais nem menos importante que as demais ciências, todas são como peças de um puzzle, todas são verdadeiramente importantes e coerentes quando interligadas! É uma pena que as verbas sejam tão importantes num trabalho essencial para pessoas, não diferentes, mas muito especiais às quais deveriamos dar uma outra voz, por tudo aquilo que nos transmitem e nos faz ser não normais, mas muito pequenos!

Acerca de mim

A minha foto
Licenciada em Motricidade e Reabilitação Psicomotora/ Estágios: Pilates(ISEIT SANTO ANDRÉ); Gerontomotricidade(LAR SANTA MARIA); Psicomotricidade em Ginásio(ATENAS GINÁSIO)/ Formações: Natação para Bebés(TIAGOS CLINICA);"Av. da Criança em Intervenção Precoce"(CEACF);Jornadas do Ap. Locomotor,Ombro-Joelho (ISEIT-Sto André);"A Perturbação da Relação e da Comunicação e o modelo DIR (Centro de Actividades Pedagógicas Alda Guerreiro);Shantala- Massagem para bebés e crianças(PSIMAR)